Foto: XPB Images

O ex-piloto de rally, Mohammed Ben Sulayem, se tornou a primeira figura a lançar sua candidatura para substituir Jean Todt como presidente da FIA.

O terceiro e último mandato de Todt termina em dezembro deste ano, encerrando um reinado de 12 anos desde que ele assumiu o cargo de Max Mosley em outubro de 2009. Todt derrotou o campeão mundial de rally de 1981, Ari Vatanen, para assumir o cargo e, em seguida, ficou sem oposição quando foi reeleito em 2013 e 2017.

Depois de se tornar vice-presidente da FIA para mobilidade e esporte em 2008, Ben Sulayem cogitou concorrer contra o francês há oito anos, mas desistiu. O 14 vezes campeão de rally do Oriente Médio lançou sua candidatura, sob o lema ‘FIA para membros’, focado em entregar o que os membros querem e precisam.

“Quero retribuir muito à FIA e sua incrível comunidade e espero que minha experiência em mobilidade e esporte como vice-presidente, competidor, mas também empresário e entusiasta de automobilismo. Estou orgulhoso de liderar uma equipe tão experiente e apaixonada que está focada em entregar o que os membros desejam e precisam”, disse Ben Sulayem.

Para concorrer à presidência da Federração, o candidato deve propor uma chapa, que inclui Carmelo Sanz de Barros como chefe do Senado da FIA; Tim Shearman como vice-presidente para mobilidade e Robert Reid como vice-presidente para o automobilismo.

“Levaremos nosso tempo na formação de políticas para garantir que sejam desenvolvidas da maneira mais inclusiva e democrática. Faremos isso buscando o conselho de nossos membros por meio de um processo de consulta aberta. Devemos também valorizar nossa tradição e história, as bases que nos dão o direito de posicionar a FIA como líderes de pensamento globais”, concluiu Ben Sulayem.